quarta-feira, maio 18, 2022
BNR-728X90-RENOVACAO---SOCIAL
BNR-728X90-RENOVACAO---ILUMINACAO
BNR-728X90-RENOVACAO---PAVIMENTACAO
HomeVitóriaApós cair em golpe, jogadores do Vitória processam atletas de outros clubes

Após cair em golpe, jogadores do Vitória processam atletas de outros clubes

Os jogadores do Vitória, Ruan Costa (sub-20) e Luan Gabriel, da equipe de aspirantes (sub-23), foram vítimas de um golpe na internet ao comprar celulares. Os atletas pagaram quase R$ 12 mil por aparelhos importados que deveriam ser entregues após a comprovação de pagamento. Devido à fraude, Ruan e Luan processaram o proprietário da empresa e jogadores que fizeram propaganda para a marca em troca de celulares e acessórios.

A companhia processada pelos jovens atletas é a WS Imports, de propriedade de Wesley de Melo Monteiro, o Roman. A empresa tem sede em São Paulo e comercializa os aparelhos por meio  do Instagram.

Para obter os celulares, Luan Gabriel fez um depósito no valor de R$ 6.022 para a empresa no dia 28 de fevereiro. Já Ruan Costa transferiu R$ 5.800 no dia 2 de março. No entanto, enquanto esperavam os aparelhos, eles perceberam que Roman enviou códigos de rastreamento inválidos para os compradores acompanharem a entrega.

Após não conseguirem os celulares, os jogadores fizeram um boletim de ocorrência na 10ª Delegacia Territorial (DT/Pau da Lima), em Salvador, e uma denúncia à Promotoria de Justiça de São Paulo.

Jogadores processados

Além de processar Wesley de Melo Monteiro, proprietário da WS Imports por estelionato, Ruan e Luan também processaram jogadores que fizeram propaganda para a empresa como o atacante Fernandão, do Bahia, o meia Camilo, ex-Botafogo e Internacional (hoje no Mirassol), o atacante Geuvânio, do Tianjin Quanjian e o ex-jogador Tinga, ex-Internacional e Seleção Brasileira.

O argumento da defesa de Luan e Ruan é que os atletas citados no processo referenciaram e deram credibilidade a uma empresa que eles desconheciam em troca de produtos. Desta forma, o ajudando a praticar golpes.

A equipe do Portal A TARDE tentou contato com o atacante Bahia, Fernandão, mas até a publicação desta reportagem não conseguiu uma resposta. 

Danos morais

O advogado dos atletas do Vitória também foi procurado pela reportagem e afirmou que as partes citadas no processo responderão por danos morais. O caso está na promotoria de Bauru (SP) e conta com uma audiência marcada para o dia 1° de junho.

Além disso, ele também informou que na última quarta-feira, 11, Roman procurou os dois jogadores por meio do Whatsapp prometendo o ressarcimento dos valores pagos pelos celulares. No entanto, como o processo já está em andamento, as vítimas não aceitaram o acordo proposto e irão esperar uma decisão definitiva na Justiça.

A reportagem também não obteve êxito ao contactar o proprietário da empresa para se pronunciar sobre o caso.

- Advertisment -
WhatsApp Image 2021-08-18 at 5.26.23 PM
Screenshot_3
549874643216798-4
f54459f1-2954-40f7-b3a6-7858147561ae
IMAGEM

Mais lidas