Atlético-PR e Coritiba conversam e não pretendem jogar clássico na quarta-feira de cinzas

Atlético-PR e Coritiba não pretendem jogar o clássico entre os clubes remarcado para a quarta-feira de cinzas, dia 1 de março, às 20h (de Brasília), conforme anunciado pela federação paranaense.

Os departamentos jurídicos conversam entre si e irão encaminhar documento à entidade para que a data seja alterada e não cause, assim, qualquer prejuízo a seus elencos. Entre as justificativas, está a programação já definida por cada um deles para o Carnaval: o Coxa, por exemplo, já havia liberado os seus jogadores para folga e não pretende voltar atrás na medida.

O novo confronto na Arena Baixada é resultado de seu cancelamento no último domingo após controvérsia envolvendo a decisão da federação de proibir a sua transmissão através do Youtube.

Ela afasta, a princípio, a possibilidade de WO duplo para os times. A súmula da partida ainda não foi divulgada.

“Estou saindo da reunião na CBF. Me avisaram agora (sobre a nova data) e pedi ao departamento jurídico para procurar o do Atlético-PR e sugerir à federação, se tiver um pouco de bom senso, para deixar a data em aberto. Porque na quarta-feira de cinzas já dispensei todo o grupo”, afirmou o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar.

Existe também a preocupação com o detalhe de que parte da torcida que comprou ingresso estará viajando.

“Se o Coritiba não aceita, nós vamos estar juntos nessa”, disse o presidente Luiz Sallim Emed, do Atlético-PR.

Além da discussão, um grupo de torcedores que sentiu prejudicado pelo cancelamento da partida entrou nesta segunda com uma ação contra a federação paranaense. Eles alegam ter sofrido danos morais e materias.