domingo, maio 22, 2022
BNR-728X90-RENOVACAO---SOCIAL
BNR-728X90-RENOVACAO---ILUMINACAO
BNR-728X90-RENOVACAO---PAVIMENTACAO
HomeBahiaBahia marca mal e perde outra fora

Bahia marca mal e perde outra fora

Escrever sobre o Bahia fora de casa é correr o risco permanente de ser repetitivo. Por mais explicações que dê, do jogo jogado em campo às analogias com o mundo animal, o técnico Guto Ferreira não consegue fazer com que sua equipe produza uma atuação convincente longe de Salvador. Na última quinta-feira, o Tricolor foi derrotado pelo Flamengo por 2 a 0, no Maracanã.

Postura. Essa é uma palavra muito usada por jogadores e também pelo treinador para diferenciar as atuações do Bahia dentro e fora de casa. Mais do que isso, dessa vez Guto mudou peças e também o jeito de jogar. Ao sacar Junior Brumado e escalar Régis, o treinador optou por abrir mão de um atacante de referência para ter dois jogadores de mobilidade atraindo os defensores do Flamengo para longe da grande área.

Os dois seriam importantes para puxar os contragolpes, a proposta da equipe para atacar o Flamengo. Seriam, pelo menos em tese. A estratégia deu errado na medida em que o Bahia não conseguiu arquitetar um ataque minimamente perigoso durante o primeiro tempo.

Desde o início do jogo, ficou clara a proposta do Bahia: marcar em bloco médio ou baixo, com todos os jogadores atrás do meio-campo, sem fazer qualquer esboço de pressionar a saída de bola do Fla. Há quem diga que a estratégia deu certo durante 40 minutos, quando a equipe levou o primeiro gol. Mas a verdade é que o Tricolor marcou mal. E costuma marcar mal quando assume essa postura exclusivamente reativa.

Mesmo com os jogadores do Bahia todos próximos à sua própria área, os flamenguistas encontravam espaços para trabalhar entre as linhas da equipe de Guto. E dar espaço para quem tem Diego, Everton Ribeiro e Lucas Paquetá, mais cedo ou mais tarde, será fatal.

Com o Flamengo próximo à área, as decisões coletivas e individuaisforam muito ruins. Tome como exemplo o primeiro gol. Perceba a quantidade de tricolores cercando Diego, que vai entregar a bola a Renê (projetado no espaço vazio) e aparecer dentro da área para fazer o gol.

Diego é cercado por quatro defensores do Bahia e, mesmo assim, finaliza a jogado com o gol (Foto: Reprodução)

Gol do Flamengo! Renê toca para Diego que dá sorte no controle e marca

Gol do Flamengo! Renê toca para Diego que dá sorte no controle e marca

No segundo gol, Tiago sai para uma caçada tão desnecessária quanto incompreensível e abre um buraco na defesa, que será justamente onde Paquetá vai infiltrar para marcar um belo gol.

Análise Bahia x Flamengo, gol de Paquetá (Foto: Reprodução)
Renê dá belo passe para Paquetá que amplia

Renê dá belo passe para Paquetá que amplia

Sem outra alternativa, Guto lançou a equipe ao ataque na segunda etapa. Uma postura mais agressiva, equilibrando a posse de bola e produzindo mais ações no campo ofensivo. O Bahia conseguiu criar algumas chances, mas novamente terminou uma partida fora de casa sem balançar as redes adversárias. O Tricolor tem um total de zero gols em quatro jogos fora de casa. Algo está errado.

O Bahia conseguiu equilibrar o jogo contra o Flamengo na segunda etapa, é verdade, embora tenha deixado generosos espaços para o contra-ataque dos cariocas, que não aproveitaram. O problema é mudar a postura para ter que correr atrás de uma desigualdade de dois gols no placar.

Guto Ferreira precisa, e ainda não encontrou, o melhor jeito de jogar fora de casa.

- Advertisment -
WhatsApp Image 2021-08-18 at 5.26.23 PM
Screenshot_3
549874643216798-4
f54459f1-2954-40f7-b3a6-7858147561ae
IMAGEM

Mais lidas