Que o futebol chinês está investindo pesado na contratação de jogadores, não é novidade. Os valores gastos apenas na última janela de transferências, fechada na terça-feira, impressionam, superando o faturamento, somado, de Palmeiras, Flamengo e Corinthians em todo o ano de 2016.

Segundo o site especializado “Transfermarkt”, os clubes chineses gastaram 395,6 milhões de euros ou R$ 1,28 bilhão na cotação atual. A cifra é semelhante, mas ainda assim superior, aos três maiores faturamentos do futebol brasileiro na última temporada: R$ 1,24 bilhão aproximadamente.

O Palmeiras foi o clube com maiores receitas no Brasil em 2016, com cerca de R$ 440 milhões. Já o Flamengo deve fechar sua arrecadação com R$ 405 milhões, em cifra parecida aos R$ 400 milhões que o Corinthians deve anunciar em seu demonstrativo financeiro oficial.

A lista de gastos da última janela de transferências na China foi liderada pelo brasileiro Oscar, comprado pelo Shanghai SIPG por 60 milhões de euros (mais de R$ 200 milhões). Em seguida, aparece o nigeriano Odion Ighalo, adquirido pelo Changchun Yatai por 23,3 milhões de euros (R$ 75 milhões).

Apesar de serem responsáveis pelas contratações mais caras, os dois clubes não são os que mais gastaram na última janela. A equipe que mais investiu foi o Tianjin Quanjian, que contratou Alexandre Pato e o belga Axel Witsel, com 74,5 milhões de euros (R$ 242,8 milhões na cotação atual).

Na janela europeia, fechada um mês antes da chinesa, a maior contratação do mercado de inverno foi feita pelo PSG, que pagou 40 milhões de euros ao Wolfsburg por Julian Draxler (R$ 125 milhões).