Com dois de Kieza, Vitória bate o Juazeirense na estreia do Campeonato Baiano

O Vitória largou com tudo no Campeonato Baiano. Na estreia da competição, na tarde deste domingo, a equipe foi até Juazeiro e bateu o Juazeirense por 2 a 1, no estádio Adauto Moraes. Os dois gols do Leão foram marcados por Kieza, que, com o outro anotado contra o Sergipe, no meio de semana, chegou a três na temporada – Danilo Bala descontou para os donos da casa.

Em entrevista coletiva concedida logo após a partida deste domingo, o técnico rubro-negro, Argel Fucks, elogiou a atuação da equipe. Embora admita que ainda há ajustes a serem feitos, ele acredita que o triunfo foi um bom passo rumo ao bicampeonato.

– Dentro das circunstâncias que a gente encontrou… É muito difícil você jogar aqui. O calor é muito forte. O gramado também, apesar de estar com grama, é muito irregular. E a gente evoluiu, em relação, principalmente, ao primeiro jogo… Estivemos um pouco melhor neste segundo jogo. Ainda precisamos evoluir muito. Mas o mais importante é ir crescendo e fortalecendo o trabalho com o resultado, com a vitória. A gente dá um passo importante, começa bem a briga pelo bicampeonato. Sabemos que é muito difícil, muita gente vai perder ponto aqui. Equipe da casa é muito forte. Demos um passo importante. Gostei do que vi, jogadas vem feitas, bem trabalhadas. Precisamos acertar algumas coisas. A condição física ainda não é a ideal. Passamos por um bom teste. A vitória valoriza muito, até pelo adversário, de qualidade, está acostumado com o clima e com o campo – afirmou o treinador.

Argel avaliou a atuação de Pisculichi. O argentino começou no banco de reservas, entrou ainda no primeiro tempo, no lugar de Gabriel Xavier, machucado, e foi substituído por Paulinho na etapa final.

– Pisculichi está buscando seu espaço, entrou quando a gente estava ganhando, principalmente pela saída do Gabriel Xavier, para manter o esquema com dois meias. No segundo tempo, como adversário saiu mais de trás… Também não pode cobrar a parte técnica num campo desse nível, e também para dar condição de jogo ao Paulinho, aí a gente mudou o esquema. Fizemos o 2 a 0, e mesmo assim o adversário não se entregou. Isso valoriza. Adversário fez seu gol no contra-ataque. O resultado é justo pelo que as duas equipes produziram. A gente vai dar oportunidades. Queria muito ver o Pineda jogando. Porque não adianta ver só em treino, tem que ver no jogo. E é o que eu digo, é o jogador quem vai se escalar – avaliou Argel Fucks.

O Vitória volta a campo nesta quinta-feira, novamente pelo Campeonato Baiano. No Barradão, a equipe encara o Vitória da Conquista, às 20h30 (horário de Salvador). O Bode venceu o Bahia de Feira por 1 a 0 na estreia do Baianão.
Confira outro trecho da coletiva de Argel.

EFICIÊNCIA E SERIEDADE

– É o que a gente pode cobrar neste momento. Até porque não dá para cobrar uma exibição melhor. Principalmente pelo calor, pelo tempo de trabalho. São 14, 15 dias de trabalho. E é muito difícil jogar aqui. A gente tem que ressaltar a capacidade do adversário, que é a terceira ou quarta força do futebol baiano. Então a gente sabe que é muito difícil jogar aqui, muitos adversários vão jogar aqui e vão acabar perdendo ponto. Pela qualidade da equipe. Então é um começo do trabalho. É importante você ganhar. Eu disse isso para vocês, o resultado neste momento, e a gente tem consciência disso. Que a gente precisa melhorar muito a nossa exibição, mas o resultado vai fortalecer o trabalho, dar confiança ao jogador, vai dando moral, a equipe vai se encaixando, crescendo coletiva e individualmente. Então nós precisamos evoluir. Eu entendo que a gente evoluiu já do primeiro para o segundo jogo. E agora o desafio é esse. No terceiro jogo, que vai ser em casa, contra o Vitória da Conquista, que a gente possa evoluir ainda mais. E cada jogo a gente buscar uma estratégia melhor, um fio de jogo, um entrosamento. Não esqueçam, gente, nós temos três jogadores da equipe titular do ano passado. Vamos contar quatro, porque o David era o nosso 12º jogador, estava sempre entrando. Mas titular tem o Fernando, Farias e o Kieza. É um time novo. Então nós precisamos de tempo para entrosar esses jogadores. Tem jogador chegando, tem jogador que está sendo preparado e precisa melhorar ainda a capacidade física. Então você tem lesão. Por exemplo, o Gabio acabou sentindo uma dor no adutor, que é normal. Sequência de jogos, campo pesado, calor… Tem vários fatores. A gente está no caminho certo, essa é a diretriz. Agora, nossa diretriz é essa. Além do resultado, fazer grandes exibições. Mas as grandes exibições um pouco mais na frente, no quinto ou sexto jogo, aí já vamos estar numa condição aceitável de equipe.