Com Luis Fabiano expulso e pênalti inexistente, Vasco empata com Fla nos acréscimos

O Flamengo tinha tudo para comemorar a quarta vitória consecutiva na Taça Rio. O time vencia o Vasco por 2 a 1 até os 48min do segundo tempo. Mas um pênalti inexistente marcado pela arbitragem mudou o rumo da partida. Com categoria, Nenê cobrou e determinou o 2 a 2 na partida disputada no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

A vitória parcial do time de Zé Ricardo estava sendo construída após o clube ficar com um a mais no campo. Luis Fabiano foi expulso após peitar o árbitro. O centroavante, um dos principais reforços do Vasco para a temporada, fazia um bom jogo e toinha roubado a bola que originou o primeiro gol.

Os dois clubes voltam a campo pelo Estadual no meio de semana. O Flamengo enfrenta o Volta Redonda na quarta-feiras, às 21h45. Já o Vasco entra em campo na quinta, contra o Boavista, às 21h30.

  • Yago Pikachu marca

O Vasco abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. Luis Fabiano pressionou Réver e roubou a bola. Na sobra, nenê pegou e cruzou da esquerda. Yago Pikachu – jogando como meia, apareceu no meio da área para se antecipar a Alex Muralha e desviar para fazer 1 a 0.

Após fazer 1 a 0, o time cruz-maltino recuou e esperou o Flamengo para sair nos contra-ataques. A equipe rubro-negra, no entanto, não conseguiu encaixar bons ataques.

  • Luis Fabiano é expulso

No começo da segunda etapa, um lance ajudou a mudar o destino do jogo. Luis Fabiano fez falta em Márcio Araújo. O árbitro Luis Antonio Silva Santos mostrou amarelo. O centroavante não gostou, foi reclamar e deu uma peitada no juiz, que se desequilibrou e mostrou vermelho ao atacante.

  • Virada e pênalti no fim

Com um a mais, o Flamengo, que vinha encontrando dificuldades, rapidamente virou. Aos 13 minutos, Mancuello cobrou escanteio e Willian Arão desviou e mandou no ângulo esquerdo para empatar.

Aos 19, Berrío recebeu passe de Arão, avançou e, da entrada da área, chutou firme para superar Jordi e fazer o segundo.

No fim, a arbitragem marcou pênalti inexistente – viu mão de Renê dentro da área, mas a bola bateu na barriga -. A cobrança foi convertida por Nenê, determinado o empate.