Depois de uma folga no Carnaval, os jogadores do Fluminense retomaram as atividades técnicas e táticas no dia de ontem, com o retorno do treinador Arnaldo Lira, que passou os últimos dias descansando em Fortaleza. O comandante tem que estar com a cabeça fria para montar o time que enfrenta a Juazeirense em Juazeiro, no próximo domingo (5) pela sétima rodada do Campeonato Baiano, e tem muitos problemas.
O time não terá o zagueiro Eduardo que foi expulso diante do Bahia e o volante Guto, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Além disso, o zagueiro Igor e o volante Alexandre estão se recuperando de contusões musculares e o treinador aguarda a evolução do quadro clínico dos atletas para que pelo menos, eles possam compor a delegação que vai a Juazeiro.
O técnico Arnaldo Lira além destas situações tem que administrar outro problema: o elenco reduzido que no momento conta apenas com 21 atletas. “São situações complicadas que a gente tem que driblar para seguir firme em busca da classificação. Vamos ver algumas possibilidades como a questão da zaga, onde não conto com o Eduardo e o Igor é dúvida. Posso manter o menino Rafael e puxar o Deca para jogar ali. Já vou ter o Edson de volta a lateral e com isso posso colocar o Jarbas no meio com Rogério, caso Alexandre seja vetado”, disse o comandante.
Diante destes problemas, Arnaldo Lira acredita que o compromisso diante da Juazeirense vai ser outra batalha para o Fluminense que está com 11 pontos na classificação geral e ainda segue invicto no Campeonato Baiano. “Eles jogam hoje diante do Jacuipense, mas independente do que acontecer vão vir com tudo em busca da vitória. Além disso vamos encarar outra viagem longa e por tudo isso acredito que teremos um jogo tão difícil quanto o do Bahia”, declarou o treinador.
Além das atividades, a parte psicológica dos atletas tem que ser trabalhada pela comissão técnica. “A conversa é essencial porque a gente sempre vai trabalhando a mete deles no sentido de superar as adversidades. No jogo passado isso foi importante para que a gente ainda corresse atrás do resultado diante do Bahia. É isso que busco conversar com eles: se não der na técnica, temos que ir na raça porque a classificação está acima de qualquer coisa”, afirmou Arnaldo Lira.