Após a goleada por 4 a 1 sobre a Ferroviária, no último sábado, o técnico Eduardo Baptista afirmou que a equipe que apresentou um futebol convincente nesta partida treinou “por apenas 15 minutos”. Com a reapresentação do Palmeiras aos trabalhos marcada para esta terça-feira, o treinador terá tempo para fixar as diversas alterações feitas no último jogo.

Contra a Ferroviária, Eduardo Baptista alterou o esquema tático do Verdão do 4-1-4-1, preferido do treinador, para o 4-2-3-1. Assim, problemas como a saída de bola e a falta de criatividade e infiltrações do meio-campo alviverde foram resolvidos.

Sem Felipe Melo, vetado por conta de um profundo corte no supercílio, Eduardo optou pela entrada de Thiago Santos. O volante, porém, ao contrário do que vinha ocorrendo com o ex-atleta da seleção brasileira, atuou com um companheiro ao lado, facilitando a saída de bola sobrecarregada do Palmeiras. Assim, Zé Roberto foi deslocado da lateral esquerda para fazer dupla com Thiago Santos.

No meio de campo, Michel Bastos seguiu pelo lado direito, sua posição favorita, mas Dudu foi centralizado e Keno teve sua primeira chance pela esquerda, onde foi muito bem no ano passado, com a camisa do Santa Cruz.

Além disso, a movimentação dos meias, em especial Keno e Dudu, juntamente com Willian, deu nova dinâmica ao Verdão, que teve trocas de posições à todo momento