terça-feira, março 2, 2021

Dado se diz aliviado após triunfo que encerrou sequência negativa

Foram dois meses e quatro dias desde que o Bahia havia vencido seu último jogo no Brasileirão Série A. Durante esse período, foram oito partidas disputadas, com sete derrotas e apenas um empate. O último triunfo conquistado havia sido no dia 16 de novembro, diante do Coritiba e, nesta quarta-feira, 20, o Tricolor quebrou o incômodo jejum justamente contra outro time paranaense: o Athletico-PR.

>>Bahia supera o Atheltico-PR, volta a ganhar na Série A e deixa a zona da degola

>>Após desfalque de Gilberto, Bellintani critica protocolo da CBF

>>Veja tabela de classificação e jogos da Série A

Em entrevista coletiva realizada após o resultado positivo conquistado em cima do Furacão, o técnico Dado Cavalcanti falou sobre alívio de ter quebrado a sequência negativa, deixado as quatro últimas posições da tabela e também conquistado seus primeiros três pontos como treinador do time principal.

“Inegável que representa um alívio. Não só para mim, mas para todo mundo. Não estou aquém, não estou numa condição diferente de nenhum torcedor do Bahia ou de nenhum membro da comissão técnica ou atleta. Estamos todos aqui extremamente comprometidos em tirar o Bahia dessa situação. Essa jogada do gol, também fazendo um parêntese e um comentário, foi algo que nós trabalhamos, de atacar a última linha. O detalhe da jogada aconteceu no timing correto do Rossi com o Gregore. Quando Gregore já dominou a bola, o Rossi já fez menção para atacar a última linha, e o Gregore acertou um passe milimétrico, dando contribuição para que o Rossi penetrasse, temporizasse um pouquinho mais, esperando a chegada do nosso extrema oposto, porque Thiago é muito rápido e muito bom nessas bolas que vêm de um lado. Ele chega do outro finalizando. Então esse gol também é simbólico em relação ao que foi trabalhado durante esse tempo de preparação para o jogo”, analisou.

Apesar do triunfo ter vindo por um placar magro, o resultado de 1 a 0 também foi responsável por quebrar um tabu ainda maior do Tricolor na competição, que era sair de campo sem levar nenhum gol. A última vez que isso aconteceu havia sido no dia 8 de novembro, em confronto contra o Botafogo, pela 20ª rodada do certame.

“Eu já tinha falado isso em outros jogos, que, no meu entendimento, o Bahia toma muitos gols, é um dado quantitativo extremamente relevante, que nunca foi passado para segundo plano. Porém, nunca caracterizei essa forma de julgamento, de setor. Assim como hoje, por exemplo, nós não precisamos contar com o Douglas, porque toda a equipe teve um comprometimento e uma compactação muito maior defensivamente. Nós tivemos um feito não só dos nossos zagueiros, dos nossos defensores. Acredito muito que o tripé de meio contribuiu demais e o nosso encaixe de área também foi muito bom, principalmente o lateral oposto, já que o Athletico faz metade dos seus gols em cruzamentos. Nos vários cruzamentos que houve no jogo, os nossos laterais, principalmente o Nino, muito bem no jogo, esteve absoluto na marcação, no encaixe de área, na entrada por trás. Assim como caracterizei que não era a defesa do Bahia que tomava gols, era a equipe, também enalteço que a nossa equipe, de forma coletiva, também teve mérito demais para vencer e não ter tomado gol”, enfatizou o treinador.

Por fim, Dado ainda falou sobre a importância de colocar o resultado final em primeiro lugar. Ele lembrou que, em outras oportunidades, o Bahia chegou a demonstrar superioridade ao seu adversário, em questão de desempenho, mas terminava não obtendo o triunfo. Segundo o técnico, ainda existe muitos aspectos a serem melhorados, mas ter saído de campo com os três pontos foi fundamental.

“O resultado é sempre o mais importante, em todos os contextos, visto que, nos outros jogos em que nós fomos superiores, por exemplo, e não vencemos, a nossa performance ficou em segundo plano. Lógico que, como treinador, preciso avaliar todos os lados. Não posso generalizar e não posso também entender que está tudo resolvido, que mudamos da água para o vinho, está tudo perfeito. Tenho consciência do que pode ser melhorado. Mas vamos valorizar o resultado, como também já se valorizou muito o resultado adverso em outros momentos. Falando em relação à confiança para jogar, tem que enaltecer também a defesa do nosso adversário. O Athletico tem uma das melhores defesas do campeonato. É um time que marca muito próximo, muito compacto e que traz dificuldades para qualquer equipe. Então as nossas dificuldades também precisam ser levadas em consideração”, concluiu.

- Advertisment -

Mais lidas

“Gabigol facts”: confira números e marcas alcançadas pelo “Príncipe” multicampeão do Flamengo

Que Zico é o Rei do Flamengo, poucos duvidam. Agora, o clube tem também seu Príncipe, Gabigol. Depois de mais um título,...

Lucas Fonseca avalia 2020 atípico, elogia Dado e projeta 2021: “Buscar evolução constantemente”

O elenco principal do Bahia se reapresenta nesta terça-feira após um breve período de folga. Entre as peças que voltarão a treinar no CT...

Athletico falha em estratégia e erra demais na estreia, mas tem (muito) potencial para reagir

O Athletico deixou um buraco no meio-campo, errou demais e sofreu uma justa derrota por 1 a 0 para o Cianorte. Edu, Denner, Matheus...

Após despedida no Atlético-GO, Gilvan prepara assinatura e viagem rumo ao Botafogo

Com o título do Campeonato Goiano na bagagem, o zagueiro Gilvan é esperado nesta semana no Rio de Janeiro para finalizar a...