O Vitória enfrenta o Vasco, nesta quinta-feira (16), buscando o triunfo dentro do Barradão, diante de sua torcida. Para todo o elenco, apenas o triunfo interessa. Porém, não levar gol significa a classificação para a fase seguinte da Copa do Brasil. Após empate no jogo de ida, em São Januário (RJ), por 1×1, o Leão trouxe para Salvador a vantagem de poder empatar sem gols com os cariocas. Se depender da defesa rubro-negra, Fernando Miguel vai sair do duelo decisivo sem lamentar revés. Nos últimos cinco jogos, o Vitória levou apenas 1 gol, justamente contra o Vasco, após marcação de um pênalti equivocado.

“É dar continuidade nestes números. Em todo jogo, a gente não quer tomar gol. Estamos fazendo bons jogos. Tomamos gol no jogo contra o Vasco, mas, para mim, não foi falta dentro da área. A meta nossa é não tomar gol. A gente entra para vencer todos os jogos e, se não tomar gol, melhor ainda”, garante o zagueiro Alan Costa, que assegura um Leão sem o regulamento debaixo do braço. “A postura do Vasco é vir para cima, como foi a nossa jogando lá. Eles, precisando do resultado, não vai ser diferente. Nós, mesmo com o resultado, temos que partir para cima e buscar o triunfo, porque é o que a gente vem procurando em todos os jogos. Vamos para cima do Vasco buscando a Vitória”, completa Alan.

Nos 14 jogos em 2017, o Leão levou 11 gols, uma média de 0,7 tentos sofridos, por embate. Vale lembrar que, deste total, 4 foram no duelo diante do Botafogo-PB, no único tropeço do rubro-negro na temporada. Em metade de suas partidas, o Vitória ficou sem levar bola na rede. “Com os jogos, a confiança vai aumentando. A gente vem trabalhando desde o início do ano. Os jogadores vêm jogando. Tem o Renê, o Vinícius, que podem entrar e fazer um bom trabalho. No começo do ano, a gente vinha tomando os gols e se cobrava por isso também. A gente vem buscando essa solidez defensiva também”, disse Alan Costa.

Para manter os 100% de aproveitamento no Barradão, Alan Costa garante que a presença da torcida será providencial para a manutenção da invencibilidade em casa. “O torcedor é muito importante. É o fator casa, o coração do time. Acho importante o torcedor vir a campo. Acredito que, nesse jogo, deve aumentar ou dobrar a torcida. Quando a gente vai jogar fora, sente como a torcida está apoiando. A gente gosta que o nosso torcedor também venha a campo. O torcedor é muito importante para a equipe do Vitória”, finaliza.