segunda-feira, agosto 3, 2020

Diferente e eficiente: Pedro se reinventa nas mãos de Jorge Jesus sem perder o instinto goleador

O avançado que Jorge Jesus tanto queria. A sombra na brincadeira com Gabigol. O “P9” para os mais próximos. Você pode se referir a Pedro como quiser, mas se precisar resumir a passagem dele pelo Flamengo com um adjetivo, é difícil fugir de eficiente. Definição comprovada nos números de um centroavante lapidado por Jorge Jesus.

Pedro comemora gol contra o Boavista, o quarto pelo Flamengo — Foto: Pedro Martins / Foto FC

Mesmo com a concorrência pesadíssima de Gabigol, Pedro deu conta do recado sempre que precisou substituir o ídolo rubro-negro. São dez partidas, quatro gols e duas assistências. Marcas que chamam ainda mais atenção se divididas pelos minutos em campo.

Saindo do banco de reservas em seis oportunidades, o camisa 21 soma 362 minutos em campo. Representa uma participação direta em gol a cada 60 minutos e uma bola na rede a cada 90.

– É um momento bom que estou vivendo, sim. Mas, como tenho dito, posso evoluir ainda muito mais. Tenho conversado constantemente com a comissão técnica para entender melhor o jogo. Estou muito feliz, motivado e isso é fundamental para qualquer atleta. Certeza que vou crescer ainda muito mais – disse Pedro.

Pedro pelo Flamengo

  • 10 jogos
  • como titular
  • 362 minutos em campo
  • gols
  • assistências
  • 60 minutos para uma participação em gol
  • 90 minutos para fazer um gol

O recorte é bem menor (é importante pontuar), mas a média até aqui supera até mesmo a do melhor momento na carreira, quando despontou no Fluminense. Em 2018, até sofrer a lesão no joelho, Pedro marcou 18 gols e deu sete assistências em 35 jogos. Uma participação direta a cada 128 minutos.

No Flamengo, a preocupação da comissão técnica é que Pedro seja mais do que o chamado avançado. Na vitória sobre o Boavista, já foi possível ver o atacante flutuando mais fora da área e abrindo espaço para infiltração dos meias, tal qual Gabigol executa. Reflexos do trabalho de Jorge Jesus:

– (O Mister pede características) de um atleta que jogue menos de costas para o gol e que participe constantemente do jogo. Isso que ele conversa diariamente comigo.

– Acredito que evoluí em alguns aspectos nos últimos treinamentos. Com o decorrer dos jogos e dos treinos, irei chegar no nível que ele deseja. Tenho consciência que todo esse processo vai ser fundamental e essencial para a minha evolução.

Domingo, o Flamengo encara o Volta Redonda pela semifinal da Taça Rio. Recuperado de dores musculares, Gabigol estará à disposição, mas o Mister já sabe: se precisar, o substituto é muito eficiente.

- Advertisment -

Mais lidas

Vindo da favela e marinheiro cinco anos atrás, Cléber ganha vaga de Sobis e festeja 1º gol pelo Ceará

Vindo da favela e marinheiro cinco anos atrás, o atacante Cléber ganhou a vaga de Rafael Sobis no Ceará e não decepcionou...

Um ano depois, São Paulo ainda não tem parceiros para ajudar a pagar salário de Daniel Alves

Um ano após a contratação de Daniel Alves, o São Paulo não conseguiu firmar nenhuma parceria para ajudar no pagamento dos salários do camisa 10....

Santos ataca Sampaoli ao afirmar em rede social que pretende manter jogadores do elenco

O Santos, que ainda não tinha se posicionado sobre as ações que Eduardo Sasha e Everson movem na Justiça do Trabalho para rescindir...

Yuri César sonha em levar o Fortaleza à Libertadores e valoriza oportunidades com Ceni

Se para alguns a campanha do Fortaleza no Brasileirão do ano passado, conquistando o 9º lugar, foi surpreendente, Yuri César acredita que...