Em partida sonolenta, Bahia aproveita bola parada para vencer o Juazeirense

O JOGO

Um jogo daqueles que deixa o torcedor desmotivado. Assim foi a tarde de quem foi ao estádio de Pituaçu neste sábado. Bahia e Juazeirense protagonizaram uma partida morna, da qual a criatividade passou longe. No primeiro tempo, mérito da defesa do Juazeirense, que se fechou e complicou a vida do Tricolor. No segundo, incapacidade do Bahia de criar. O quadro foi tão crítico que todos os gols surgiram de bolas paradas: no primeiro tempo, Gustavo, aos 45, após cobrança de falta; na segunda etapa, Nen converteu um pênalti aos seis, e Mário marcou aos 37, após falta cobrada por Juninho.

O PRIMEIRO TEMPO

O primeiro tempo foi disputado praticamente em um lado do campo. O Juazeirense armou um sistema defensivo eficiente e dificultou a criação de jogadas do Bahia, que só conseguiu criar perigo quando recorreu aos longos lançamentos. Com tamanha dificuldade, o gol saiu somente aos 45 minutos em uma jogada de bola parada, quando Gustavo aproveitou a assistência de Régis. Por outro lado, a zaga tricolor não teve muito trabalho.

O SEGUNDO TEMPO

Se a primeira etapa tinha dado sono, a segunda… Foi ainda mais sonolenta. Exceções para os lances dos dois gols marcados. Aos seis minutos, empate do Juazeirense: Nen converteu um pênalti, depois que a bola bateu na mão de Juninho Capixaba na área. Aos 37, Mário aproveitou uma cobrança de falta certeira de Juninho e garantiu o triunfo do Bahia. Mas, fora isso, foi total falta de criatividade.

DEFESA INTRANSPONÍVEL? NÃO MAIS…

Eis que, aos seis do segundo tempo, a defesa do Bahia foi vazada pela primeira vez na temporada, em partidas oficiais. E o responsável pela marca foi Nen, que converteu um pênalti a favor do Juazeirense. Ainda assim, os números do Tricolor seguem positivos: um gol sofrido, mas 13 foram marcados em 2017.

OLHO NA TABELA

Pelo Baianão, o Bahia volta a campo na próxima quarta-feira, quando vai enfrentar o Flu de Feira no Joia da Princesa. Já o Juazeirense enfrenta o Jacuipense no dia seguinte, no mesmo estádio.