quinta-feira, maio 19, 2022
BNR-728X90-RENOVACAO---SOCIAL
BNR-728X90-RENOVACAO---ILUMINACAO
BNR-728X90-RENOVACAO---PAVIMENTACAO
HomeDESTAQUESInfância no lava-jato e aval de Vanderson: Vitória apresenta Rodrigo Andrade

Infância no lava-jato e aval de Vanderson: Vitória apresenta Rodrigo Andrade

Com um largo sorriso no rosto, Rodrigo Andrade, novo reforço do Vitória, foi apresentado na manhã desta quarta-feira, logo após o treino comandado por Vagner Mancini. Quem fez as honras da casa foi Erasmo Damiani, diretor de futebol, que elogiou o volante que se destacou em 2017 com a camisa do Paysandu, quando atuou em 44 partidas e marcou cinco gols. O Rubro-negro comprou 50% dos seus direitos econômicos e assinou contrato por três temporadas.

– Acompanhei bastante jogos na Série B e sempre buscando informações (…) Fez uma Série B bem consistente, um jogador novo, de projeção muito grande. Conseguimos, nesse início de temporada, trazer ele para o Vitória. Esperamos que ele tenha o mesmo desempenho que teve no ano passado, no Paysandu – avaliou o diretor de futebol rubro-negro.

A entrevista de Rodrigo Andrade foi marcada pela sinceridade – e também simplicidade. Respondeu às perguntas com total naturalidade, desde o início no futebol, em que trabalhava no lava-jato do primo para faturar uma grana, ao retorno das férias acima do peso, quando precisou ser afastado do elenco do Paysandu para reduzir o percentual de gordura.

– Ralei muito para chegar no futebol. Lavava carro lá na minha rua pra ir pro treino. Na família não tem ninguém que jogue. Meu pai falou: “Pode ir porque é o único futuro que tem, porque tu não gosta de estudar”. Sofrer é normal todo mundo sofre na vida. O que me incentiva mais a jogar futebol, é meu filhinho, que nasceu, tem dois anos, ficou lá em Belém . Jogo pensando nele – explicou Rodrigo Andrade.

Tinha lava-jato de meu primo na frente de minha casa. Treino era 8h, eu acordava 6h, lavava o carro para conseguir o dinheiro para ir.

Sobre a forma física, Rodrigo Andrade garante que ralou para estar no peso ideal, algo que já conseguiu.

– Por causa das férias eu relaxei um pouco, engordei um pouco. Conversei com o professor, ele falou que eu estava cima do peso. Continuei trabalhando, e agora estou com o peso ideal para o jogo – contou.

No Paysandu, Rodrigo Andrade atuou ao lado de Vanderson, jogador identificado com o Vitória e que marcou época no clube. Quando surgiu a oportunidade de jogar pela equipe baiana, o volante de 20 anos consultou o amigo, que lhe deu boas referências do antigo clube.

– Tive a honra de jogar com o Vanderson logo que subi para o profissional. Quando meu empresário falou do Vitória, procurei logo falar com ele. Ele falou: “Pode ir que é um grande clube e vão te receber de braços abertos” – contou.

O momento mais inusitado da entrevista ficou guardado para o final. Encerrada a coletiva, Rodrigo Andrade foi perguntado sobre a idade do filho e respondeu sem qualquer cerimônia:

– Ele ficou lá [em Belém]. É de outra mulher – contou aos risos.

Rodrigo Andrade ainda não está regularizado, portanto não está relacionado para enfrentar o Corumbaense, adversário que o Vitória enfrenta nesta quinta-feira, pela Copa do Brasil.

Confira outros trechos da entrevista de Rodrigo Andrade.

VOLANTE
Acho que, na minha opinião, volante não tem só que marcar. Sou volante moderno, sempre chego na área, e sempre faço gol pra não esquecerem de mim (risos).

O QUE ESPERA EM 2018
Trabalhando forte, respeitando os companheiros. Vou trabalhar para procurar meu espaço no time e poder ajudar o Vitória.

- Advertisment -
WhatsApp Image 2021-08-18 at 5.26.23 PM
Screenshot_3
549874643216798-4
f54459f1-2954-40f7-b3a6-7858147561ae
IMAGEM

Mais lidas