sábado, junho 25, 2022
BNR-728X90-RENOVACAO---SOCIAL
BNR-728X90-RENOVACAO---ILUMINACAO
BNR-728X90-RENOVACAO---PAVIMENTACAO
HomeFutebol InternacionalMaradona vê Argentina ameaçada nas Eliminatórias e pensa em voltar ao comando...

Maradona vê Argentina ameaçada nas Eliminatórias e pensa em voltar ao comando da seleção

Com 22 pontos, a Argentina é a quinta colocada nas Eliminatórias Sul-Americanas e vê sua participação na Copa do Mundo de 2018 ameaçada, ainda mais depois da punição a Lionel Messi, que só poderá jogar na última partida, contra o Equador, em outubro. Ídolo máximo do futebol dos Hermanos, Diego Maradona vê seu país ameaçado sem o atual camisa 10.

“Com todo respeito pela seleção, creio que, sem Messi, estamos ameaçados na qualificação para o Mundial. Eu assinaria já a repescagem para o playoff, mas o jogador argentino sempre tem um a mais para dar”, afirmou Dieguito em entrevista à Rádio Rivadavia, de Buenos Aires.

Principal jogador da seleção argentina na atualidade, Messi foi suspenso por quatro jogos após o camisa 10 ter xingado dois auxiliares na saída do jogo contra o Chile, no dia 23 de março, no Monumental de Nuñez. Recentemente, o jornal La Nación afirmou que a pena seria reduzida caso o astro argentino aparecesse na sede da Fifa, na Suíça, para tirar fotos no local.

Outro assunto levantado durante a entrevista foi a inevitável comparação entre ele, Don Diego, e o craque da atualidade. “Eu já fiz minha carreira, me diverti muito dentro de campo. Agora o Messi tem de fazer isso. Não tem de haver comparação entre nós”, sentenciou o campeão do mundo em 1986.

“Temos de dar um banho de humildade a nós próprios”, completou Maradona sobre a situação da argentina nas Eliminatórias. Na quinta posição, o time que dispensou Edgardo Bauza tem dois de vantagem para o Equador, primeiro fora da zona de classificação para o mundial.

  • Maradona quer treinar seleção

Diego Maradona vê vaga na Copa de 2018 ameaçada

Maradona também declarou que gostaria de voltar a comandar a seleção do seu país na Copa do Mundo de 2018, a ser disputada na Rússia.

“Continuo sendo argentino e vou morrer argentino. Não é que eu esteja me oferecendo. Estou dizendo que o técnico dentro de mim não morreu e o cheiro do gramado continua a me atrair tanto como uma mulher bonita”, admitiu.

Com Maradona como treinador, a Argentina chegou até as quartas de final na Copa do Mundo de 2010, fase em que foi eliminada ao ser goleada por 4 a 0 pela Alemanha.

A respeito das negociações da Associação do Futebol Argentino (AFA) com o técnico do Sevilla, Jorge Sampaoli, para que assuma o cargo na seleção após a demissão de Edgardo Bauza, o ex-jogador foi claro.

“Não sei. Está muito inflado o caso de Sampaoli. No Chile, ele estava fazendo uma carreira bárbara. No Sevilla, ele não para e me parece que é um dos candidatos, mas não acho que seja o justo”, ressaltou.

Maradona advertiu que, para ele, Sampaoli não tem a sensibilidade para fazer uma “limpeza” na seleção, como sugere grande parte da imprensa e dos próprios argentinos.

“Muito se fala da limpeza na seleção argentina, e não acredito que Sampaoli tenha o ‘feeling’ e o contato com os jogadores como para fazer isso”, argumentou. No entanto, se negou a citar outros pretendentes ao posto: “Sou proibido pela FIFA de citar candidatos”

- Advertisment -
WhatsApp Image 2021-08-18 at 5.26.23 PM
Screenshot_3
549874643216798-4
f54459f1-2954-40f7-b3a6-7858147561ae
IMAGEM

Mais lidas