domingo, julho 3, 2022
BNR-728X90-RENOVACAO---SOCIAL
BNR-728X90-RENOVACAO---ILUMINACAO
BNR-728X90-RENOVACAO---PAVIMENTACAO
HomeBrasileirão - Serie AMesmo com dívidas, Corinthians não teme perder jogadores na Justiça como o...

Mesmo com dívidas, Corinthians não teme perder jogadores na Justiça como o Santos

Mesmo devendo salários, direitos de imagem e depósitos de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ao elenco, o Corinthians não teme perder jogadores na Justiça como pode ocorrer com o rival Santos.

Neste começo de semana, o goleiro Everson e o atacante Eduardo Sasha buscaram a Justiça do Trabalho para rescindir unilateralmente o contrato com o Santos.

No Corinthians, há embasamento legal para ações do mesmo tipo. A Lei Pelé determina que o jogador pode romper o vínculo após atraso de três meses de salário, o que ocorre no Timão desde o último dia 7. Porém, antes mesmo disso já havia dívidas de direitos de imagem e FGTS que permitiriam o pedido de rescisão na Justiça.

Tiago Nunes e dirigentes do Corinthians em reunião com os jogadores no começo do ano — Foto: Daniel Augusto Jr/Ag.Corinthians

Tiago Nunes e dirigentes do Corinthians em reunião com os jogadores no começo do ano — Foto: Daniel Augusto Jr/Ag.Corinthians

O que dá tranquilidade à diretoria é a boa relação entre os cartolas e os jogadores. Tanto o diretor Duílio Monteiro Alves quanto o presidente Andrés Sanchez são próximos ao elenco e costumam falar com frequência com os atletas sobre as pendências financeiras.

Também há uma preocupação entre os dirigentes corintianos em honrar os acordos com o grupo. No Corinthians, a redução salarial por conta da pandemia de coronavírus foi de 30%. Já no Santos, a diretoria combinou este mesmo percentual, mas fez um corte maior, de 70%.

O histórico de bom pagador do clube é outro trunfo corintiano. Até a paralisação do futebol, em março deste ano, o Timão não atrasava salários (embora tivesse outras dívidas).

Em conversas com líderes do elenco, os dirigentes argumentaram que a atual crise econômica afeta todos os clubes e empresas de diferentes segmentos. Também prometeram uma rápida solução, com a utilização do dinheiro da venda de Pedrinho para quitar os débitos.

– Se for ver, o clube está parado há três meses, não entra receita… Não adianta chegarmos aqui e ficar criticando o clube. Vou ser bem honesto: lógico, você quer receber em dia, não só no futebol, em todas as profissões. Estou aqui na minha nona temporada aqui, nunca aconteceu de atrasar um mês – afirmou o goleiro Cássio, em entrevista recente.

– O salário sempre foi certinho. Isso é uma das primeiras coisas que quando um jogador chega a gente conversa. Eles perguntam, e eu falo. Mas infelizmente aconteceu essa situação de estarmos com salários atrasados. Temos conversado com a diretoria, que nos passou algumas situações. Eles estão trabalhando forte para voltar à normalidade e não ter mais atrasos – completou o capitão corintiano, um dos líderes do elenco nas negociações com a diretoria.

Segundo o diretor financeiro do Corinthians, o clube pretende pagar pelo menos uma parcela dos salários atrasados até quarta-feira, data do clássico contra o Palmeiras, em Itaquera.

Se por um lado o Timão tem confiança em acordos amigáveis com atletas do atual elenco, por outro vem sofrendo diversas cobranças judiciais de ex-jogadores. Recentemente, o atacante Jonathas, o volante Paulo Roberto e o meia Giovanni Augusto entraram com ações trabalhistas contra o Timão.

- Advertisment -
WhatsApp Image 2021-08-18 at 5.26.23 PM
Screenshot_3
549874643216798-4
f54459f1-2954-40f7-b3a6-7858147561ae
IMAGEM

Mais lidas