O São Paulo acertou nesta sexta-feira a venda do meia Augusto Galván, de 17 anos, para o Real Madrid, da Espanha. A joia das categorias de base estava encostada em Cotia.

O acordo foi selado em 3 milhões de euros (quase R$ 10 milhões), sendo 1 milhão de euros (R$ 3,3 milhões) agora e o restanten por metas acordadas com a equipe merengue.

O contrato de Galván com o clube tricolor terminaria no próximo dia 25 de março, data em que ele completará 18 anos. Dessa forma, ele poderia sair sem custos para a equipe espanhola, o que fez a venda para o Real Madrid ser vantajosa para o São Paulo.

  • Promessa da base estava na ‘geladeira’

Sem acordo para renovar, Augusto foi mantido praticamente na geladeira ao longo de 2016 e não atuou.

Ele chegou a desabafar através de redes sociais após ser rebaixado, inclusive, para a categoria de 2016.

Entre outros, o Manchester City, o Hamburgo e o RB Leipzig também demonstraram interesse recente.

Para brecar a sua saída, o São Paulo chegou a notificar os clubes europeus através da Fifa e intermediou até mesmo uma conversa do técnico Rogério Ceni com o meio-campista para que ele revesse a sua postura, sem sucesso.

A conversa aconteceu antes da oficialização de Ceni no comando da equipe principal.

Gian aposta em futuro de Ceni como técnico, mas avalia: ‘É cedo para falar em sucesso’
De acordo com o seu registro na federação paulista, o contrato de Augusto Galván com o time que faturou quase tudo na base em 2016 se encerra na próxima semana, no dia 2 de março.

Dono de perna esquerda considerada especial e tratado como craque na base, a revelação tricolor chegou a sofrer lesão no ombro no ano passado e manteve normalmente a sua rotina de treinos em Cotia, ausente dos relacionados para as partidas.

Em 2015, ele foi um dos destaques na campanha do título no Paulista Sub-17, com nove gols em 21 jogos.