segunda-feira, agosto 3, 2020

Titular no time de transição do Bahia, Ramon não espera vaga garantida no Baiano

Ramon era um dos titulares garantidos do time de transição do Bahia na disputa do Campeonato Baiano. Com o fim da equipe por causa da pandemia do coronavírus, ele foi um dos escolhidos para ser integrado à equipe principal e continuar a disputa da temporada. Mas não é pela presença na disputa do estadual que ele acredita ter uma vaga no meio de campo do time de Roger Machado.

– O grupo tem grandes jogadores. Não tem lugar garantido para ninguém. É um grupo muito focado. A decisão vai ser do professor. Quem ele achar que está melhor, vai colocar para jogar. Mas vai precisar de todos – comentou o volante.

Volante diz que todo o grupo do Bahia precisará estar preparado para sequência do ano — Foto: Bruno Queiroz/Divulgação/E.C. Bahia

Ramon inclusive lembrou que já treinava com o time principal antes mesmo da paralisação do futebol. Para ele, estes treinos e o entrosamento com os outros atletas do time de transição facilitam a adaptação neste momento.

– Antes mesmo da pandemia já vinha trabalhando com o grupo nos treinos. Está sendo tranquilo. Pessoal me recebeu bem. A gente treina, faz o melhor e espera por oportunidade. (…) A gente (do time de transição) já vinha trabalhando desde dezembro. São grandes jogadores. A gente vem dando nosso máximo nos treinamentos. Já conhece. Recepção do pessoal está sendo muito boa – acrescentou.

Veja outros temas abordados por Ramon na coletiva

Permanência no clube
– Fico feliz. Significa que meu trabalho estava sendo bem feito. A gente fica triste por amigos que foram embora, mas devido a situações específicas. Agora é dar sequência, seguir orientações e cuidados para voltar às atividades normais

Brasileiro até fevereiro
– É uma situação específica por tudo o que está acontecendo no mundo. A CBF, junto com o pessoal, está decidindo o melhor para os clubes. A gente tem que trabalhar, jogar e, se for assim, dar o nosso máximo.

Time desfeito
– Situação atípica do que aconteceu. A gente não tem muito o que se queixar. Só orar pelas famílias e pelo momento para superar obstáculo e dar a volta por cima.

- Advertisment -

Mais lidas

Vindo da favela e marinheiro cinco anos atrás, Cléber ganha vaga de Sobis e festeja 1º gol pelo Ceará

Vindo da favela e marinheiro cinco anos atrás, o atacante Cléber ganhou a vaga de Rafael Sobis no Ceará e não decepcionou...

Um ano depois, São Paulo ainda não tem parceiros para ajudar a pagar salário de Daniel Alves

Um ano após a contratação de Daniel Alves, o São Paulo não conseguiu firmar nenhuma parceria para ajudar no pagamento dos salários do camisa 10....

Santos ataca Sampaoli ao afirmar em rede social que pretende manter jogadores do elenco

O Santos, que ainda não tinha se posicionado sobre as ações que Eduardo Sasha e Everson movem na Justiça do Trabalho para rescindir...

Yuri César sonha em levar o Fortaleza à Libertadores e valoriza oportunidades com Ceni

Se para alguns a campanha do Fortaleza no Brasileirão do ano passado, conquistando o 9º lugar, foi surpreendente, Yuri César acredita que...