O Vasco estará em campo nesta quarta-feira para enfrentar o Vila Nova, às 21h45 (de Brasília), no estádio Serra Dourada, em Goiânia. O confronto pode ser considerado o mais complicado entre os grandes do Brasil nesta fase do torneio.

O time carioca é 13º colocado no ranking da CBF. Foi eliminado na semifinal da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, pelo Flamengo após perder por 1 a 0, em Volta Redonda, e não ganhou clássico algum no ano.

Chegará ao duelo em um momento que o técnico Cristóvão Borges ainda busca a melhor formação do Vasco e provavelmente sem o atacante Luis Fabiano.

Por outro lado, o Vila Nova é líder do Campeonato Goiano, com 14 pontos em sete jogos. Mas não é apenas pela campanha no Estadual que o rival vascaíno aparece como candidato a “pior rival” dos grandes nesta fase da Copa do Brasil.

O Vila Nova é de longe o clube com mais tradição, melhor posição no ranking da CBF e em melhor momento do que os adversários, de Corinthians, Fluminense e São Paulo.

Além de líder do Goiano, o clube é o 44º colocado no ranking da CBF. Está na Série B do Brasileiro, mas já disputou a primeira divisão nove vezes (a última vez foi em 1985).

No ano passado, no duelo pela Série B cada um venceu um. No Rio de Janeiro, deu Vila Nova por 2 a 1, em 30 de agosto. Já em Goiânia, em 24 de maio, deu Vasco: 2 a 0.

  • Os outros grandes na Copa do Brasil

Corinthians, Fluminense e São Paulo ainda jogam nesta fase da Copa do Brasil

O time do Parque São Jorge, quarto no ranking da CBF, vai enfrentar o Brusque-SC, às 21h45 (de Brasília), em Brusque. A equipe catarinense está na 152ª posição no ranking e disputa a Série D do Brasileiro. Mas o histórico fica bem aquém do Vila Nova.

O Brusque nunca jogou o principal torneio do país. O mais próximo que chegou foi ao jogar a  Série B  de 1989, quando teve a 33ª campanha entre 96 participantes.

No Campeonato Catarinense, ao menos, faz boa campanha: é o segundo colocado. Tem 15 pontos, cinco pontos a menos que o líder Avaí.

O Fluminense jogará com o Sinop-MT, no Gigante do Norte, em Sinop, na quinta-feira. Se o time carioca é décimo no ranking da CBF, o rival está empatado com o Brusque (162º).

A equipe do Mato Grosso também lidera o seu grupo no Estadual. Disputou a Série D do Brasileiro na última temporada e nunca jogou a primeira divisão nacional.

Já o São Paulo jogará com o PSTC-PR, às 19h30 (de Brasília), no estádio do Café, em Londrina. O rival é o 156º colocado no ranking da CBF (o time tricolor é o oitavo) e no Campeonato Paranaense está próximo da zona de rebaixamento.

Torneios nacionais? A campanha que dá orgulho ao PSTC-PR é um quarto lugar no Paranaense do passado, o que possibilitou jogar a última edição da Série D.

  • Favoritismo confirmado

Cruzeiro e Internacional já jogaram nesta fase.

O time mineiro venceu o São Francisco-PA por 6 a 0, no Mineirão, há uma semana, e se classificou para a terceira fase da Copa do Brasil.

O Cruzeiro, sexto no ranking da CBF, enfrentou o número 158. Além disso, o adversário jamais disputou a primeira divisão do Brasileiro e tem a pior campanha no Campeonato Paraense, tendo perdido os cinco jogos que disputou.

Já o Internacional derrotou o Oeste, time da Série A2 do Paulista, por 4 a 1, no Beira-Rio, também há uma semana.

A equipe gaúcha é a sétima no ranking da CBF, enquanto o clube paulista é apenas o 42º, ou seja, acima do Vila Nova, mas, por outro lado, joga a segunda divisão de São Paulo – e está na 12º no Estadual (próxima da zona de rebaixamento).

A exemplo dos demais rivais dos grandes brasileiros, o Oeste jamais jogou a Série A do Brasileiro. No ano passado quase foi rebaixado para a Série C.