Vitória segura empate com o Imperatriz e avança na Copa do Brasil

0

Imerso em uma crise financeira, o Vitória empatou, na noite desta terça-feira, 11, seu jogo mais importante do ano até aqui. A boa notícia é que o 0 a 0 com o Imperatriz, no Maranhão, rendeu R$ 1.190 milhão aos cofres rubro-negros. O valor a ser pago pela classificação para a segunda fase da Copa do Brasil chega em um momento delicado, já que nesta terça mesmo o time precisou lidar com novas reclamações de salários atrasados na Toca do Leão.

De acordo com denúncia de um funcionário do clube, apenas os jogadores do grupo profissional estão com salários em dia. Os demais funcionários não recebem desde novembro, o que incluiu 13º e férias entre os vencimentos não pagos. O elenco sub-23, que também está sem receber, chegou a ameaçar não treinar nesta terça, mas foi coagido pelo presidente Paulo Carneiro.

Horas depois, no estádio Frei Epifânio, o empate sem gols classificou o Leão graças ao regulamento da Copa do Brasil, que privilegia o time visitante nessa primeira fase.

O jogo

A partida demorou para ganhar emoção no Frei Epifânio. O Vitória tinha maior posse de bola e trocava mais passes antes de tentar resolver a jogada. Mas esbarrava nas mesmas dificuldades que os donos da casa para criar chances reais de gol. O gramado ruim atrapalhava as duas equipes, que também sofriam com erros técnicos dos próprios jogadores.

O ‘atalho’ encontrado pelo Imperatriz para fugir do gramado ruim foi alçar bolas na área. Os jogadores de vermelho e branco não pensavam duas vezes antes de tentar o cruzamento, que na maioria dos lances era bem afastado pelos zagueiros rubro-negros ou por Ronaldo.

De positivo a ser destacado no primeiro tempo, só a maturidade dos comandados de Geninho. Os jogadores mostraram ter consciência que o empate servia para o objetivo do time e tinham tranquilidade para esfriar o jogo, trocar passes no campo de defesa e gastar tempo. Isso sem aparentar relaxamento pela classificação parcial daquele momento.

Segundo tempo

O Vitória voltou para o segundo tempo com Rodrigo Carioca na vaga do inoperante Júnior Viçosa, que nesta terça esteve apagado no Frei Epifânio. Com a alteração, Léo Ceará passou a atuar na referência do ataque, mas o time continuou pouco efetivo lá na frente.

Enquanto isso o Imperatriz ficava mais à vontade em campo. Os donos da casa sabiam que dependiam do gol para se classificar e passaram a atacar com mais intensidade durante a segunda etapa. Os chutes de longa distância se tornaram uma arma, mas a pontaria ainda estava desajustada, o que facilitava a vida de Ronaldo.

Nesse ritmo o jogo se aproximou do fim com cenário aberto para diferentes possibilidades. Um gol dos mandantes seria catastrófico para o Rubro-Negro, que seguia mais distante de abrir o placar e colocava suas esperanças na manutenção do empate.

O drama aumentou quando Guilherme Rend foi expulso, aos 38 minutos do segundo tempo. O volante recebeu o segundo cartão amarelo por segurar a bola após uma falta cometida por Rodrigo Andrade.

Na base da emoção, a defesa rubro-negra segurou o ataque dos mandantes e garantiu a classificação para a segunda fase com o 0 a 0 fora de casa. O time principal do Leão volta a campo no domingo, contra o Frei Paulistano, pela quarta rodada do Nordestão.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here