segunda-feira, agosto 2, 2021

De quase emprestado a solução, André ressurge no Fluminense: “Soube esperar meu momento”

Desde o ano passado, a torcida do Fluminense se acostumou a ter em Martinelli e Yago a sua dupla de volantes titulares. Mas quando algum deles não podia jogar, os tricolores ainda não tinham ficado satisfeitos com nenhum dos candidatos a substitutos: Yuri não agradou e foi emprestado ao Cuiabá; Hudson antes mesmo da grave lesão era alvo de constantes críticas, e o recém-contratado Wellington até agora não teve uma grande atuação com a camisa tricolor.

André teve boa atuação contra o Fortaleza no Castelão — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

André teve boa atuação contra o Fortaleza no Castelão — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

Mas a solução pode estar dentro de casa: André. Com Yago suspenso, o volante de 19 anos voltou a ganhar uma oportunidade no time titular no empate por 1 a 1 com o Fortaleza no último domingo, no Castelão, e correspondeu. O jovem procurou não inventar, fez o básico, soltou rápido a bola, errou só um passe e esteve seguro, salvo uma perda de posse na frente da área que originou uma finalização do adversário. Em contato, ele lembrou papo com Roger Machado e comemorou a atuação:

– Acredito que fiz uma partida de razoável para boa, uma partida bem segura. Acho que foi uma das minhas melhores, sim, das poucas vezes que atuei. Lembro de uma contra o Inter, ano passado em Porto Alegre, e uma contra o Sport em Recife, em que fiz boas partidas. (…) Conversei com o Roger alguns meses atrás, ele me falou para treinar bem, continuar focado que a qualquer momento a oportunidade ia aparecer pelo excesso de jogos. E não foi diferente.

“Soube esperar meu momento, sem passar por cima de ninguém. Graças a Deus recebi oportunidade e creio que consegui corresponder”.

André em treino do Fluminense no CT Carlos Castilho — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

André em treino do Fluminense no CT Carlos Castilho — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

Foi a 17ª partida de André pelo profissional, mas apenas a quarta como titular. Ele subiu para o elenco principal em 2020, ainda com Odair Hellmann, mas perdeu espaço desde a saída do treinador e já não entrava em campo há três meses. Procurado por alguns clubes, como por exemplo o Botafogo e o CRB, o volante esteve perto de ser emprestado, mas a lesão de Hudson mudou os planos. E ele agora espera se firmar cada vez mais no Fluminense.

– Sim, houve a chance de eu ser emprestado, mas tivemos a lesão do Hudson, infelizmente, um cara fora de série, e isso me deu mais chances de jogar. Então, eu segui trabalhando firme, treinando cada dia mais forte, e sabendo que a oportunidade podia aparecer. Graças a Deus ela chegou. Eu pude dar uma resposta boa para o Fluminense, para mim, para a comissão técnica. Agora é seguir trabalhando para buscar mais oportunidades.

Seu último jogo tinha sido na vitória por 1 a 0 sobre o Bangu em São Januário, quando entrou nos minutos finais em partida válida pelo Campeonato Carioca. Apesar dos três meses sem entrar em campo, André não sentiu falta de ritmo, mas saiu com cãibras no segundo tempo no Castelão.

– Nesses três meses estava treinando com muita intensidade. Infelizmente acabei saindo no segundo tempo, era um jogo muito intenso, o time do Fortaleza estava com muita intensidade. Creio que, como estava há três meses sem jogar, é normal sentir um pouco, a perna pesar. Mas com o passar dos jogos vamos melhorando para aguentar os 90 minutos.

Martinelli e André havia jogado só uma vez juntos como titulares — Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

E André comemorou também a reedição da parceria com Martinelli, com quem formava dupla nas categorias de base do Fluminense. Este foi apenas o segundo jogo dos dois juntos como titular no profissional, e estão invictos assim: no ano passado, tinham começado jogando no empate sem gols com o Bragantino no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

– A gente está indo para o quarto ano jogando junto. Martinelli é meu amigo, fico muito feliz de ter atuado do lado dele e muito feliz pelo momento que ele está vivendo. É uma pessoa excepcional, um cara diferenciado, creio que ainda vai dar muitas alegrias para o torcedor tricolor. Passa pela cabeça que há dois, três anos estávamos jogando juntos na base, e hoje representarmos o Fluminense no profissional… Não tem felicidade maior – vibrou.

Recentemente, a diretoria chegou a tentar a contratação de mais um volante e fez proposta por Ronaldo, do Flamengo, mas ele foi para o Shimizu, do Japão. Com Martinelli suspenso para o primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores, contra o Cerro Porteño no Paraguai no dia 13 de julho, a vaga do substituto ainda está em aberto, mas André mostrou que também está no páreo.

- Advertisment -

Mais lidas

Com um a menos, Juazeirense segura o empate com o Sergipe e mantém invencibilidade na Série D

Juazeirense e Sergipe particamente repetiram o roteiro do que aconteceu no último encontro entre as equipes. Com um jogador a mais durante...

Julho amarelo: Confiança encerra mês sem vencer e com alerta ligado para fugir do rebaixamento

Julho trouxe o amarelo de atenção para o Confiança e será um mês sem boas recordações. Em sete jogos nos 31 dias, nenhuma vitória,...

Bahia perde para o Sport e chega à quarta derrota seguida no Brasileirão

A sequência de derrotas do Bahia no Campeonato Brasileiro agora é de quatro jogos. O número cresceu neste domingo, 1º, depois que o...

Alison dos Santos bate recorde sul-americano e vai à final dos 400m com barreiras

Com direito a recorde sul-americano, Alison dos Santos garantiu vaga na final dos 400m com barreiras. O brasileiro confirmou favoritismo, na manhã...